Se reinventando durante a pandemia: saiba como aplicar o e-commerce para seu restaurante

As plataformas e-commerce são uma tendência cada vez maior, pois trazem muitos benefícios, tanto para o comércio quanto para os consumidores.

São um meio fácil de comprar e vender produtos e serviços dos mais variados tipos, inclusive comidas prontas. Apesar de já ser um método comum há algum tempo, os restaurantes e bares estão aderindo cada vez mais a esse modelo de negócio.

Por causa da pandemia, esses estabelecimentos tiveram que interromper suas atividades e encontrar maneiras de sobreviver em meio à crise. O objetivo, neste caso, é evitar a proliferação do vírus e preservar a saúde de clientes e colaboradores.

Para que esses comércios sobrevivam, existem alternativas inteligentes, como o e-commerce e o delivery. Então, apesar de ser novidade para a maioria, quem adotou não se arrepende.

Só que, assim como qualquer outra mudança de planos, é essencial ter um bom planejamento e conhecer os métodos que serão aplicados. Tudo para que o restaurante se saia bem e mantenha a sua receita.

Pensando nisso, neste artigo, vamos falar sobre o que é e-commerce, como um restaurante pode aderi-lo e quais são os seus benefícios.

O que é e-commerce?

E-commerce é um modelo de negócios também conhecido como comércio eletrônico. São vendas realizadas de modo on-line por uma empresa, tanto fabricantes quanto revendedores, por meio de uma plataforma própria.

e-commerce

Portanto, todas as transações de compra e venda realizadas de maneira 100% on-line são configuradas como comércio eletrônico.

Esse modelo envolve muito mais do que a criação de um site, pois é um empreendimento que se diferencia por conta de sua estrutura digital.

Além de vender, os negócios e-commerce também digitalizam os processos de atendimento ao cliente. Por isso, outras ações são automatizadas, como marketing, finanças e estoque.

O trabalho de gestão também é agilizado, dessa forma, uma loja de produtos naturais na internet possui maior peso estratégico quando se trata de logística.

Como o e-commerce pode ser adotado por restaurantes

O setor alimentício é um dos que enfrentam uma concorrência bem agressiva. Afinal, quantos estabelecimentos os consumidores têm à disposição para fazer uma refeição? Por conta disso, a busca por melhorias é algo contínuo para restaurantes.

É isso que faz com que ele se destaque e ganhe a atenção do consumidor, principalmente agora que as pessoas estão enfrentando um momento desconhecido, por conta da pandemia.

Só que isso também traz mais conforto para os clientes, uma vez que eles podem se alimentar e provar diferentes pratos e bebidas, sem sair de casa.

A plataforma e-commerce tem crescido muito nesse setor, dessa forma a tendência é que ela se torne uma realidade, mesmo depois que tudo isso melhorar. 

Mas é precisa saber como fazer isso, então alguns passos importantes são:

Fazer um planejamento

Os consumidores estão ligados ao comércio eletrônico, seja para comprar creatina ou comida. Mesmo assim, os restaurantes precisam de um planejamento para colocar essa estratégia em ação.

Aqueles que já atuam no espaço físico, com certeza, já possuem um plano de negócio, mas a mesma coisa é válida para um empreendimento digital. 

Por isso, é muito importante estudar aspectos como:

  • Investimentos;
  • Estimativas de lucro;
  • Concorrência;
  • Tecnologia para o site.

Pensar outros pontos

Depois de criar esse planejamento, é hora de pensar em outros pontos, como domínio do site, ou seja, o endereço dele na web. Também é necessário escolher a hospedagem, o espaço onde o site ficará na internet.

Além de um sistema de estoque, também é imprescindível escolher a plataforma da loja, que cadastrará os produtos, administrará o estoque, criará a página de check out de compras, dentre outros.

Após isso, é importante se atentar à experiência do usuário, para isso, uma das ações é acompanhá-lo diariamente para confirmar se o funcionamento está adequado.

Um dos pontos que precisa de mais atenção é o carregamento do site. Páginas que demoram muito para carregar irritam o visitante e ele acaba desistindo.

O site também precisa ser responsivo, ou seja, ter um formato que permita ser acessado tanto de computadores e notebooks quanto de celulares e tablets.

Podemos usar como exemplo uma distribuidora de ferramentas, que tenha suas vendas 100% on-line. Para ela, é fundamental que o cliente consiga comprar pelo celular, da mesma maneira que ele consegue comprar pelo computador.

Os sites responsivos tornam as páginas e todos os elementos contidos nela proporcionais ao tamanho de tela que está sendo usada, sem que a experiência do usuário seja impactada de maneira negativa.

A etapa de checkout da compra também precisa ser fácil e rápida, para que o cliente não desista da compra no último momento.

Os restaurantes também precisam ter um aplicativo de delivery atrelado à plataforma. Então, tanto o site quanto o aplicativo precisam ter o mesmo aspecto visual, menu, cardápio e opções de pagamento.

Agora, um dos fatores que mais pesam para os consumidores é quanto à entrega. Podemos dizer, inclusive, que para eles uma entrega rápida é tão importante quanto uma comida boa e bem-feita.

Quando as pessoas pedem uma refeição, elas estão com fome ou começando a ficar, e essa sensação pode causa mau humor e irritabilidade. Então, elas não estão dispostas a esperar.

Por meio de um desenvolvimento de aplicativos mobile, é possível garantir uma entrega rápida aos clientes. Isso vai contar muito para uma avaliação positiva no site ou aplicativo do restaurante, que será visto por outros consumidores.

Além de uma entrega rápida, é interessante disponibilizar pontos de retirada. Estamos falando, aqui, sobre estabelecimentos físicos que precisaram se adaptar às mudanças trazidas pela pandemia, por isso, o local em si continua sendo importante.

É diferente de uma empresa de outdoor que atenda somente pela internet. Os restaurantes que estão adotando esse modelo de negócio podem disponibilizar o estabelecimento para retiradas.

Isso é bom porque deixa a cargo do cliente quando ele pode passar para pegar, dessa forma desafogando o sistema de delivery.

Benefícios do e-commerce para restaurantes

Apesar das mudanças serem bruscas e alterarem bastante a realidade da maioria dos estabelecimentos, elas trazem muitos benefícios para o negócio, tais como:

Fidelização de clientes

É comum que bares e restaurantes tenham aqueles clientes que são frequentadores assíduos. Isso porque é comum que alguns deles fiquem próximos de empresas e pontos comerciais, onde muitas pessoas trabalham.

Além disso, outros estabelecimentos, principalmente bares e pizzarias, são mais do que locais para uma simples alimentação, são pontos de encontro e lazer.

Infelizmente, neste momento, as pessoas não podem frequentá-los, mas perder esses clientes é um prejuízo enorme que pode ser evitado.

Além disso, o comércio eletrônico, juntamente com o delivery, permite que aqueles que não conheciam o restaurante se habituem com as facilidades oferecidas por ele, e voltem a comprar mais vezes.

Aumento do número de clientes

Uma loja de almofadas personalizadas virtual pode vender seus produtos para pessoas que estão longe delas – e para os restaurantes é a mesma coisa.

A partir do momento em que as vendas são expandidas na internet, o estabelecimento não se restringe mais apenas àquela quantidade de frequentadores habituais, mas para um número muito maior de pessoas.

Este é um benefício que veio para ficar, mesmo depois que a pandemia acabar. Um aumento considerável de clientes, vendas, e, claro, lucros.

Expansão da marca

Se mais pessoas passarem a comprar do restaurante, mais pessoas vão o conhecer, o que expande a marca. 

Além disso, as facilidades trazidas pelo esquema de delivery e e-commerce agradam os clientes, que passam a indicá-lo a outras pessoas.

No entanto, é importante que tudo isso seja bem-feito, com planejamento, foco e orientado a oferecer a melhor experiência para o público consumidor.

Nós sabemos que as mudanças repentinas foram sentidas por todos os setores, como uma fábrica de etiquetas

Mas as mudanças nas estratégias podem sair do foco e mais atrapalhar do que ajudar. Por isso, é importante muita calma e estratégia.

Custo-benefício favorável

Não é preciso fazer altos investimentos para trabalhar com o comércio eletrônico, nem mesmo para os restaurantes. 

Inclusive, é o custo-benefício que mais tem atraído empreendedores e investidores para esse modelo de negócio.

Não é preciso gastar muito e as vendas são facilitadas, com um alcance muito maior. Para os restaurantes, além de ser uma maneira de se salvar nessa crise, ainda é uma oportunidade de aumentar os lucros.

Conclusão

A internet tem sido nossa aliada neste momento, mas ela já vem mostrando as possibilidades positivas para os negócios há um bom tempo, e uma delas é o e-commerce.

Seja em caráter temporário ou definitivo, com certeza o mercado on-line ajudará o seu bar, restaurante ou pizzaria a passar por esse período ileso, descobrindo novas possibilidades.    

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: